AS DEZ VIRGENS

Então o reino dos céus será semelhante a dez virgens que, tomando as suas lâmpadas, saíram a
encontrar-se com o noivo. Cinco dentre elas eram néscias, e cinco prudentes. As néscias, ao tomarem as suas lâmpadas, não levaram azeite consigo; no entanto, as prudentes, além das lâmpadas, levaram azeite nas vasilhas Mt 25.1-4. A parábola das dez virgens continua a mensagem de Jesus sobre a expectativa da sua vinda, e sobre o preparo e vigilância que se exige da parte dos crentes. A mensagem é também um a pelo aos israelitas para que venham a esperar o Noivo Eterno, a ter uma verdadeira fé em Cristo como Salvador. Na hora de sua vinda vai revelar-se quem são os crentes  verdadeiros que confiam em Cristo e guardam a sua vinda, e quais são aqueles cuja profissão religiosa não inclui a vigilância, a fé transformadora em Cristo. O certo é que o trecho não está ensinando que Cristo arrebatará alguns membros da Igrejas e deixará para trás os demais que não estiverem preparados. Pois se = virgens = significa crentes, como é que Jesus falará: Não vos conheço? Se as últimas cinco ficaram sem óleo ( o Espírito), então não eram crentes Mt 24.13. Fala: Aquele, porém, que perseverar até o fim, esse será salvo Hb 3.13,14. Pelo contrário, exortai-vos mutuamente cada dia, durante o tempo que se chama Hoje, a fim de que nenhum de vós seja endurecido pelo engano do pecado. Porque nos temos tornado participantes de Cristo, se de fato guardarmos firmes até ao fim a confiança que desde o princípio tivemos. O engano do pecado produz endurecimento Jr 17.9. Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto, quem o conhecerá? Enganosa, traiçoeiro, astucioso, perigosamente, enfermo, incurável. Tanto satanás como nosso próprio coração querem nos convencer que atitudes e práticas erradas não são pecaminosas. Cristo participou em nossas subjugação a morte. Pela ressurreição conquistou o poder sobre a morte por todos nós. Confiança, certeza. Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem. Fé é a certeza, substância, confiança. É a garantia ou escritura das promessas de Deus Hb 11.1. 
Print Friendly and PDF

O INSENSATO

SALMO 53 É UMA SEGUNDA EDIÇÃO DO SALMO 14

Diz o insensato no seu coração: Não há Deus. Corrompem-se e praticam iniquidade; já não há quem faça o bem. Do céu olha Deus para os filhos dos homens, para ver se há quem busque a Deus. Todos se extraviaram e juntamente se corromperam: Não há quem faça o bem, não há nem sequer um. vs. 1-3. Uma descrição da corrupção universal. A corrupção universal se deve ao fato de os homens negarem a Deus. Não é apenas o homem ateu que nega a existência de Deus, mas também aquele que vive e age como se nunca tivesse que prestar contas ao Senhor. Então desceu o Senhor para ver a cidade e a torre, que os filhos dos homens edificavam; descerei, e verei se de fato o que têm praticado corresponde a esse clamor que é vindo até mim; e, se assim não é, sabê-lo-ei Gn 11.5; 18.21.  O  homem natural, o que não aceitou a salvação, não tem mérito próprio, pelo qual possa apelar perante o Deus que declara que todos pecaram Rm 3.23. No vss. 4-5. Acaso não entendem os obreiros da iniquidade? Esses que devoram o meu povo, como quem come pão? Eles não invocam a Deus. Tomam-se de grande pavor, onde não há quem temer; porque Deus dispersa os ossos daquele que te sitia; tu os envergonhas, porque Deus os rejeita. Revela-se um Deus de retidão. Os que invocam a Deus e que até o desprezam, são envergonhados. A retidão de Deus significa que Deus condenará o pecado. Ao mesmo tempo, porém, oferece o caminho da salvação e de perdão aquele que reconhece seu pecado, arrependendo-se e procurando a misericórdia divina. Na pessoa de Jesus Cristo, pelo seu amor, Deus oferece esta salvação Jo 14.6. Se o amor de Deus é desprezado, nada mais resta senão as duras conseqüências naturais do pecado e a vergonha eterna.
Print Friendly and PDF