BARUQUE

A MENSAGEM DE JEREMIAS A BARUQUE: JEREMIAS 45

O Senhor fala a Baruque por meio de Jeremias. Dei-a a Baruque, filho de Nerias, filho de  Maaséias, na presença de Hanameel, filho de meu tio, e perante as testemunhas, que assinaram a escrituras da compra, e na presença de todos os judeus que se assentavam no pátio da guarda (Jr 32:12). O próprio copista reconhece que está gravando a palavra de Deus no seu pergaminho.Assim diz o Senhor, Deus de Israel, acerca de ti, ó Baruque: Disseste: Ai de mim agora! porque me acrescentou o Senhor tristeza ao meu sofrimento; estou cansado do meu gemer, e não acho descanso. Assim lhe dirás: Isto diz o Senhor: Eis que estou demolindo o que edifiquei, e arrancando o que plantei, e isto em toda a terra. E procuras tu grandezas? Não as procuras; porque eis que trarei mal sobre toda carne, diz o Senhor; a ti, porém, eu te darei a tua vida como despojo, em todo lugar para onde fores (vss 3-5). SOFRIMENTO. A queixa de Baruque; acrescentou tristeza ao meu sofrimento, devia-se ao fato de ter reconhecido os pecados de seu povo, e estar sofrendo em espirito por causa da pecaminosidade deles. Depois, escreveu para Jeremias as profecias de destruição que haviam aumentado ainda sua tristeza. DEMOLINDO, ARRANCADO. A constante pecaminosidade do povo de Deus não deixara outra saída ao Senhor, sendo a de castigá-lo severamente. É o reverso do plano revelado a Jeremias, de demolir para depois edificar. Olha que hoje te constituo sobre as nações, e sobre os reinos, para arrancares e derribares, para destruíres e arruinares, e também para edificares e para plantares (Jr 1:10). As tentativas de edificação serão eliminadas até que os falsos alicerces do paganismo sejam totalmente derribados. DESPOJO, O que ficar nesta cidade há de morrer a espada, ou a fome, ou de peste; mas o que sair, e render-se aos caldeus, que vos cercam, viverá, e a vida lhe será como despojo (Jr 21:9). A vida de Baruque foi gasta servindo em segundo lugar. A crise nacional era tal que ele não podia esperar por recompensa nesta vida, embora, por sua linguagem, tivesse o direito de uma posição politica. Assim foi a vida dos apóstolos: Mereciam tempo para descansar, mas os necessitados do povo da época não paravam de se fazer sentir. Tendo Jesus convocado os doze, deu-lhes poder e autoridade sobre todos os demônios, e para efetuarem curas (Lc 9:1). Cristo, o Soberano do Novo Reino compartilha seu poder, e autoridade com seus embaixadores. No exercício desta comissão, eles tornam-se apóstolos (v.10), enviados em lugar daqueles que os comissionou. 


Print Friendly and PDF