FIGUEIRA

                                                                                                    FIGUEIRA SIMBOLO DE FÉ

Figos produz duas safras anualmente, os primeiros figos temporã é aquilo que vem antes do tempo próprio prematuro. Mas, evoluindo semanticamente, passou a agregar também o sentido do adjetivo serôdio, ou seja,tardio. Assim, hoje significa "aquilo que vem quando não mais espera" ou aquilo que vem fora de tempo, quer antes, quer depois do tempo apropriado. Figos que amadurecem em junho ou no começo de julho Is 28.4; Jr 24.2; Os 9.10. Por volta de fevereiro os primeiros botões surgem nos ramos, as folhas só aparecem no fim de abril ou no fim de maio Mt 24.32; Ct 2.13. Na época em que a árvore esta coberta de folhas também deveria ter frutos. Visto que era o dia 10 nisã o ano 33 a sua aparência dava motivo. Os figos era usado como remédio e uma fonte básica de alimentos nos tempos bíblicos. Mc 11.12-14 indica que Jesus sé chegou a figueira pensando em figos embora não fosse a estação dos figos, quer dizer a época, para a colheita dos figos. Ter a árvore somente folhas mostrava que não ia produzir nenhuma safra, portanto era enganosa na sua aparência. Jesus amaldiçoou-a como improdutiva, fazendo-a secar-se Mt 7.19; 21.43; Lc 13.6-9. Israel é comparada por duas especia de figos Jr 24.1-10  Em 597 a.C., Nabucodonosor levou muitos prisioneiros de Jerusalém para a Babilônia 2 Rs 24.10-16;  2 Cr 36.10. Os que ficaram em Jerusalém olhavam com desprezo para aqueles que tinham sido levados embora, pensando que eram como figos muito ruins, ruins demais para serem comidos v.2. Deus inverte as coisas, dizendo que os figos bons são os israelitas que foram levados para a Babilônia v.5; 29.4-14 e que os ruins são aqueles que ficaram em Jerusalém v.8;  Mt 7.15-16; Tg 3.13; Mt 24.32-34; Ap 6.13.

                                                                 
 NISÃ
Nisã nome pós-exílico do primeiro més lunar judaico do calendário sagrado, correspondendo uma parte de março outra parte de abril  Ne 2.1. O que vou contar aconteceu quatro meses mais tarde, no vigésimo ano do reinado de Artaxerxes. Um dia, quando o rei estava jantando, eu peguei vinho e o servi. O rei nunca me havia visto triste Et 3.7. No ano doze do reinado de xerxes, no primeiro més, o més de nisã, Hamã ordenou que tirassem a sorte chamava-se isso de "purim", para decidir o dia e o més em que os judeus seriam mortos. Foi sorteado o dia treze do décimo segundo més, o més de adar. Ano doze 475 a.C. Nisã. O més que ia de meados de março a meados  de abril. Purim plural de "pur" palavra da língua acadiana que quer dizer "sorte" Et 9.26, adar. O més que ia de meados de fevereiro a meados de março. Como este era o décimo segundo més, isso dava aos judeus uma sobrevida de quase um ano. Estes més, primeiro chamado "abibe", era originalmente considerado o sétimo més e evidentemente é o més mencionado em Gn  8.4. No dia dezessete do sétimo més, a barca parou na região montanhosa de Ararate. Sétimo més. O més de etanim 1 Rs 8.2, que ia de meados de setembro até meados de outubro. Ararate. Na região da Armênia que hoje faz parte da Turquia. Por ocasião do Êxodo do Egito, Jeová designou este més como "o primeiro més do ano Êx 12.2. Este més será para vocês o primeiro més do ano 13.4. Vocês estão saindo do Egito neste dia, no primeiro més, o més de abibe Nm 33.3. O povo de Israel saiu do Egito no dia quinze do primeiro més do ano, um dia depois da primeira Páscoa. Eles saíram de Ramesés de maneira vitoriosa, e todos os egípcios os viram.
                             
                                     USO FIGURADO PROFÉTICO

A figueira e a videira são mencionadas juntas em muitos textos, e as palavras de Jesus em Lc 13.6 mostra que as figueiras muitas vezes era plantadas em vinhedos 2 Rs 18.31; Jl 2.22. A  expressão sentar-se cada um debaixo da sua própria videira e figueira simbolizava condições pacíficas, prosperas e seguras 1 Rs 4.25; Mq 4.4; Zc 3.10.


                                        JESUS ENTRA EM JERUSALÉM


Jesus entra em Jerusalém no domingo, vai até o Templo e olhou tudo em redor. Mas, como já era tarde, foi para o povoado de Betânia com os doze discípulos. No dia seguinte, a segunda feira daquela mesma semana. Jesus passou a ultima semana em Jerusalém e arredores, desde domingo até sexta feira. Se Jesus entrou em Jerusalém no domingo Mc 1.1-11, a passagem dos outros dias da semana é assinalada como segue: Segunda feira, em Mc 11.12; terça feira em Mc 11.20; quarta feira, em Mc 14.1; quinta feira, em Mc 14.12; e sexta feira, o dia da crucificação e do sepultamento de Jesus Mc 15.21-47, e em 15.1. No dia seguinte seria terça feira, Jesus e os discípulos provavelmente estivessem voltando de Betânia, onde tinham passado a noite Mc 11.20. Jesus e os discípulos voltam a Jerusalém, e os discípulos veem a figueira morta. Em vez de falar sobre o fracasso do antigo sistema religioso, representado pela figueira seca, Jesus fala sobre a nova comunidade que ele está criando e que vive pala fé e pela oração. Os discípulos chegaram perto de Jesus, em particular, e perguntaram: Por que foi que nós não pudemos expulsar aqueles demônio? Jesus respondeu: Foi porque vocês não têm fé. Eu afirmo a vocês que isso é verdade: Se vocês tivessem fé, mesmo que fosse do tamanho de uma semente de mostarda, poderiam dizer a este monte: "Saia da qui e vá", e ele iria. E vocês teriam poder para fazer qualquer coisa! Mt 17.19-20. É pela fé que se tem acesso ao poder do Reino de Deus. Porque Jesus expulsou os comerciantes do Templo? E disse aos que vendiam pombas: Tirem tudo isto daqui! Parem de fazer da casa do meu Pai um mercado! Então os discípulos dele lembraram das palavras das Escrituras Sagradas que dizem: "O meu amor pela tua casa, ó Deus, queima dentro de mim como fogo. O meu amor pelo teu Templo queima dentro de mim como fogo; as ofensas que te insultam caem sobre mim Jo 2.16-17; Sl 69.9.

Print Friendly and PDF