1 de junho de 2016

JESUS CARREGA A CRUZ

Por isso eu lhe darei muitos como a sua parte e com os poderosos repartirá ele o despojo,
porquanto derramou a sua alma na morte; foi contado com os transgressores, contudo levou sobre si o pecado de muitos, e pelos transgressores intercedeu (Isaías 53.12). Foi crucificado entre dois ladrões e considerado, pelo poderio judaico, um criminoso perigoso. Carregou sobre si, na cruz, os pecado do mundo, e pagando em nome da humanidade, as conseqüências de toda a maldade, Jesus recebeu, imputada a sua pessoa, a culpa de todos os transgressores (1 Pe 2.24). Carregando ele mesmo em seu corpo, sobre o madeiro, os nossos pecados, para que nós, mortos aos pecados, vivamos para a justiça; por suas chagas fostes sarados. Os primeiros transgressores que o estavam crucificando ( Lc 23.34). Contudo Jesus dizia: Pai, perdoa-lues, porque não sabem o que fazem. Então, repartindo as vestes dele lançaram sorte. Desde então, está assentado a direita da Majestade nas alturas, vivendo sempre para interceder por aqueles que se convertem (Hb 1.4; 7.25). Tendo-se tornado tão superior aos anjos, quando herdou mais excelente nome do que eles. Por isso também pode salvar totalmente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles. Jesus haveria de morrer, mas não ficaria sem ver o fruto da sua morte, pois depois da ressurreição ainda deu a grande comissão para seus discípulos, e prometeu sua presença real entre eles, (Mt 28.18-20). É o fruto que o grão de trigo produz ao morrer, (Jo 12.34; Ef 1.19-21; 2.1-7; Cl 2.12; Rm 6.3-5). Prolongará os seus dias . Cristo, ressuscitado, vive por toda a eternidade (Rm 6.9-10; Ap 1.18). A palavra fruto não consta no heb, mas o contexto a exige, cada pessoa que se converte a Jesus Cristo, é mais um resultado da sua obra expiatória.


Print Friendly and PDF