29 de outubro de 2016

AS SEMANAS DE DANIEL

Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo, e sobre a tua santa cidade, para cessar a
transgressão, e para dar fim aos pecados, e para expiar a iniquidade,e trazer a justiça e selar a visão e a profecia, e para ungir o Santíssimo. Sabe e estende; desde a saída da ordem para restaurar, e para edificar a Jerusalém, até ao Messias, o Príncipe, haverá sete semanas, e sessenta e duas semanas; as ruas e o muro se reedificarão, mas em tempos angustiosos (Dn 9.24-25). Artaxexes, em 444 a.C. decretou a permissão do retorno judeu para a reconstrução de Jerusalém. O período da construção se estendeu até 395 a.C. Sete "semanas" (49 anos)
444.a.C.---------------------395.a.C.----------------------------------33.d.C.
                                     (As 69 semanas de Daniel).
Sete "semanas" (49 anos)          Sessenta e duas semanas (434 anos)
"E depois das sessenta e duas semanas será cortado o Messias, mas não para si mesmo; e o povo do Príncipe que há de vir, destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será com uma inundação; e até ao fim haverá guerra; estão determinadas as assolações"(Dn 9.25) .
Entrada triunfal de Cristo e sua inclinação. Destruição de Jerusalém (70.d.C.). Período de tempo entre a semana (69 e a 70). Arrebatamento da Igreja (1 Ts 4.15-18).
                                           (Período da Igreja).
"E ele firmará aliança com muitos por uma semana; e na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oblação; e sobre a asa das abominações virá o assolador, e isso até  a consumação; e o que está determinado será derramado sobre o assolador (Dn 9.27). Batalha do Armagedom. A grande tribulação (70 a semana de Daniel).
                 "E ele é (o príncipe que virá) firmará aliança com muitos por uma semana" (v 27 a). O "príncipe que virá" é o último líder do Império Romano redividido (uma federação de Estados europeus). Este é o "pequeno chifre" (Dn 7.8); o "homem da iniquidade" (2 Ts 2.3); a "besta" (Ap 11.7; 13.1; 19.20). É feito uma aliança pela paz e proteção de Israel. O sistema sacrificial é restaurado.
"... na metade da semana fará cessar o sacrifício; e sobre a asa das abominações virá o assolador" (v. 27b). Quando, pois, virdes que a abominação da desolação, de que falou o profeta Daniel, está no lugar santo; quem lê, atenda; então, os que estiverem na Judeia, fujam para os montes (Mt 24.15-16).
O príncipe trai Israel e bane os sacrifícios, exaltando a si mesmo como chefe do sistema religioso mundial (Ap 13.11-15.
"..até a consumação; e o que está determinado será derramado sobre o assolador" (v.27c). A besta é capturada e lançada no lago de fogo (Dn 7.11; Ap 19.20).
Print Friendly and PDF

A PRAGA QUE CONSOME

                                                                                           
O profeta Zacarias teve uma visão e não soube como descrevê-la chamando-a de "os terríveis resultados de uma praga". Esta praga será enviada a todos os que vierem para lutar contra Jerusalém nos últimos dias. A praga consome a carne do homem, estando ele ainda em pé. Os olhos apodrecem ainda nas órbitas, e a língua se dissolve ainda dentro da boca (Zc 14.12-15). Que praga é esta que Zacarias viu no seu tempo por volta de (580-570 a.C.). Aqui esta descrevendo a ira de Deus que caíra sobre os povos pagãos que planejaram a destruição do povo escolhido. E se andardes contrariamente para comigo, e não me quiserdes ouvir, trarei sobre vós pragas sete vezes mais, segundo os vossos pecados (Lv 26.21). Esta praga de Zacarias foi um mistério para a sua geração, mas, para nós ela se chama bomba atômica que foi inventada pelo o homem. Uma bomba atômica pode produzir, em milésimo de segundos, uma temperatura de mais de um milhão de graus. É desta forma que os olhos e a língua de um homem são consumidos antes que o seu corpo caia no chão. A praga de Zacarias não é mais um mistério. É um armamento atômico, e ele será usado no Oriente Médio. Tudo aquilo que o homem planta será colhido é a lei da semeadura.O Espírito concede a coragem necessária para falar em nome de Deus aquele que lhe entregam vidas santificadas; Zacarias, o filho de Joiada, era um daqueles profetas; testificou fielmente sobre a decadência do reino, mas o rei não lhe dera ouvidos, trucidando ingratamente o filho de quem o colocara no trono. O assassino de um Zacarias é mencionado pelo Senhor em (Mt 23.35 e Lc 11.51). Se é o Zacarias cujo livro consta na Bíblia, então é só aqui que se registra seu martírio. Se é o Zacarias mencionado em (2 Cr 24.17-22), então historicamente não seria o último caso de perseguição contra profetas, pois a data do assassinato é (796 a.C.;) Jesus pode ter citado Zacarias como sendo o último registrado nas Escrituras pois na Bíblia hebraica os livros das Crônicas constam por último. De Abel até Zacarias. Abrange toda a história do A.T., que, na ordem hebraica, começa com o Gênesis e termina com 2 Crônicas. Em último lugar, indicando que Crônicas era o livro final do cânon, como de fato o é, na Bíblia hebraica. Filho de Baraquias (Mt 23.35) seria, então, apenas um titulo, ou apelido, um erro de copista, ou pode ser, ainda, que Zacarias fosse neto de Joiada. Nos últimos dias, pouco antes da segunda vinda de Cristo, as nações do mundo se reunirão para lutar contra Jerusalém e Deus vai defender a sua habitação na terra. Zacarias registra creio que esta é a descrição feita por Zacarias de um ataque nuclear, o qual gera um calor de um milhão de graus Celsius em menos de um segundo. É assim que nossas línguas e olhos se dissolveriam em nossas bocas e órbitas antes mesmo de nossos corpos caírem no chão.















Print Friendly and PDF

19 de outubro de 2016

O PERDÃO DE OFENSAS

                                                       

Perdão de ofensas. Na dimensão horizontal, ato de afastar ressentimento e desejo de vingança em relação a um ofensor. Quando Deus perdoa o pecador arrependido, isso se reflete na convivência dos irmãos na fé. Recebe o perdão de Deus e perdoa os outros são duas coisas que sempre andam lado a lado. Isso aparece também na oração que Jesus ensinou a seus discípulos Mt 18.21-35.Perdoar como também nós perdoamos receber o perdão de Deus e passar esse perdão adiante são duas coisas que sempre vem juntas Mt 5.23-24; 6.14-15; Mc 11.25. Para que o perdão seja completo, o ofensor deve declarar-se arrependido, dispondo-se a reparar a falta cometida, se for o caso. Tenham cuidado! Se o seu irmão pecar, repreenda-o; se ele se arrepender, perdoe Lc 17.3. O resultado do perdão é o restabelecimento da amizade entre as partes. Pelo contrário, sejam bons e atenciosos uns para com os outros. E perdoem uns aos outros, assim como Deus, por meio de Cristo, perdoou vocês Ef 4.32. E Deus nos perdoa a medida que nós perdoamos os que nos ofendem Mt 6.12.                                           

                                                       PERDÃO DE PECADOS 
Perdão de pecados. Na dimensão vertical, ato pelo qual Deus, por causa de seu amor e da sua misericórdia. Ó Deus, não há outro deus como tu, pois perdoas os pecados e as maldades daqueles do teu povo que ficaram vivos: Tu não continuas irado para sempre, mas tens prazer em nos mostrar sempre o teu amor Mq 7.18. Remove o castigo que resulta de pecado cometido. Esse castigo foi sofrido na cruz por Jesus, com quem a pessoa perdoada está unida pela fé.Pois, pela morte de Cristo na cruz, nós somos libertados, isto é, os nossos pecados são perdoados. Como é maravilhosa a graça de Deus. É quem nos liberta, e é por meio dele que nossos pecados são perdoados Ef 1.7; Cl 1.14. Isso inclui arrependimento e mudança de atitude e de vida. O perdão resulta em reconciliação com Deus. No AT o perdão era acompanhado do sacrifício de uma vitima inocente, que era um TIPO de Cristo crucificado. O objetivo maior destes sacrifícios, em que o animal era completamente queimado, era conseguir o perdão dos pecados da pessoa. Ali ele porá a mão na cabeça do animal a fim de que seja aceito como sacrifício para conseguir o perdão dos seus pecados Lv 1.4. Podia ser oferecido um touro vs. 3-9, um carneiro ou cabrito vs. 10-13 ou uma ave vs. 14-17. Quando um homem oferece um animal em sacrifício. Todos os dias, no Templo, eram sacrificados, um de manhã e outro a tarde Ex 29.38-46. Não é sobre esses que se fala aqui, nesta passagem. Aqui, fala-se sobre sacrifício que um homem podia oferecer por sua própria iniciativa para conseguir o perdão dos seus pecados. O sacrifício de Cristo é superior aos sacrifícios do AT. A  lei e os sacrifícios oferecidos pelo Grande Sacerdote do AT não podiam purificar as pessoas de seus pecados, pois eram apenas "cópias das realidades celestiais Hb 9.23 e" sombras das coisas boas que estão para vir" Hb 10.1. As "coisas verdadeiras se encontra naquilo que Cristo fez. Ele fez o que Deus quis Hb 10.10, e nós somos purificados do pecado pela oferta que ele fez, uma vez por todas Hb 9.26; 10.11-14, do seu próprio corpo Hb 10.5,10.

Print Friendly and PDF

18 de outubro de 2016

OS FALSOS MESTRES

Pois Deus não deixou escapar os anjos que pecaram, mas os jogou no inferno e os deixou presos com
correntes na escuridão, esperando o Dia do julgamento. Deus não deixou escapar o mundo antigo, mas trouxe o dilúvio sobre o mundo dos que não queriam saber de Deus. A única pessoa que ele salvou foi Noé, que anunciou que todos deviam obedecer a Deus. E Deus também salvou mais outras sete pessoas. Deus condenou as cidades de Sodoma e Gomorra, destruindo-as com fogo, como exemplo do que vai acontecer com os que não querem saber dele. Ele salvou Ló, um homem bom, que estava aflito porque conhecia a vida da quela gente imoral. Todos os dias esse homem bom, que vivia entre eles, ficava muito agoniado ao ver e ouvir as coisas más que aquela gente fazia. Tudo isso nos mostra que o Senhor sabe como livrar das aflições as pessoas dedicadas a ele e também sabe como guardar os maus debaixo de castigo para o Dia do julgamento. Ele castigará especialmente os que seguem seus próprios desejos imorais e desprezam a autoridade dele. Esses falsos mestres são atrevidos e orgulhosos. Eles não têm nenhum respeito pelos gloriosos seres celestial e os insultam 2 Pe 2.4-10. Os anjos que pecaram Jd 6. Lembrem dos anjos que não ficaram dentro dos limites da sua própria autóridade, mas abandonaram o lugar onde moravam. Eles estão amarrados com correntes eternas, lá embaixo na escuridão, onde Deus os está guardando para aquele grande dia em que serão condenados. Alguns dos melhores manuscritos trazem em abismo escuros. 
Print Friendly and PDF

JESUS RESPONDEU AOS FARISEUS E SADUCEUS

Alguns saduceus, os quais afirmam que ninguém ressuscita, chegaram perto de Jesus e disseram:
Mestre, Moisés escreveu para nós a seguinte lei: "Se um homem morrer e deixar a esposa sem filhos, o irmão dele deve casar com a viúva, para terem filhos, o que serão considerados filhos do irmão que morreu." Acontece que havia sete irmãos. O mais velho casou e morreu sem deixar filhos. Então o segundo casou com a viúva, e depois o terceiro. E assim a mesma coisa aconteceu com os sete irmãos, isto é, todos morreram sem deixar filhos. Depois a mulher também morreu. Portanto, no dia da ressurreição, de qual dos sete a mulher vai ser esposa? Pois todos eles casaram com ela! Jesus respondeu: Nesta vida os homens e as mulheres casam. Mas as pessoas que morrem e alcançar a ressurreição e a vida futura não vão casar lá, pois serão como os anjos e não poderão morrer. Serão filhos de Deus porque ressuscitaram. E Moisés mostra claramente que os mortos serão ressuscitados. Quando fala do espinheiro que estava em fogo, ele escreve que o Senhor é "o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó." Isso mostra que Deus é Deus dos vivos e não dos mortos, pois para ele todos estão vivos. Aí alguns mestres da Lei disseram: Boa resposta, Mestre! E não tinham coragem de lhe fazer mais perguntas. Lucas capitulo 20.27-40. Ao contrário dos fariseus, os saduceus não acreditavam na ressurreição. Pedro e João ainda estavam falando ao povo quando chegaram alguns sacerdotes, o chefe da guarda do Templo e alguns saduceus. Eles ficaram muito aborrecidos porque os dois apóstolos estavam ensinando ao povo que Jesus havia ressuscitado e que isso prova que os mortos vão ressuscitar. Quando Paulo percebeu que alguns do Conselho eram do partido dos saduceus e outros do partido dos fariseus, disse bem alto: Meus irmãos, eu sou fariseu e filho de fariseus. Estou aqui sendo julgado porque creio que os mortos vão ressuscitar. Assim que ele disse isso, os fariseus e os saduceus começaram a discutir, e o Conselho se dividiu. É que os saduceus não creem que os mortos vão ressuscitar, nem que existem anjos ou espíritos; mas os fariseus creem nessas coisas. E assim a gritaria aumentou ainda mais. Então alguns mestres da Lei que pertenciam ao partido dos fariseus se levantaram e protestaram. Eles disseram: Não vemos nenhum mal neste homem. Pode ser mesmo que um anjo ou um espírito tenha falado com ele. A briga chegou a tal ponto, que o comandante ficou com medo de que Paulo fosse despedaçado por eles. por isso mandou os guardas descerem para tirar Paulo do meio deles e o levar de volta para a fortaleza. At 4.1-2; 23.6-10. A história que os saduceus contam a Jesus é pura invenção. Ela serviria como prova de que a ideia de ressuscitar e voltar a viver uma vida como a que temos aqui na terra é um absurdo. A resposta de Jesus mostra que eles não entendem o que quer dizer ressuscitar.  Eles citam Dt 25.5-6; Gn 38.8. A Lei de Moisés diz o que devia ser feito para o nome de um homem e de sua família fosse preservado neste mundo. Nada dizia, assim pensava os saduceus, sobre a ressurreição. Jesus mostra que eles estão errados.
Print Friendly and PDF

15 de outubro de 2016

A ALIANÇA É VIOLADA

Por quarenta anos, Jeremias proclama fielmente a condenação divina a rebelião de Judá, e este
trabalho é recompensado com oposição, surras, isolamento e prisão. Sua simpatia e sensibilidade fazem com que ele lamente a rebeldia e o destino  da nação. Ele deseja, constantemente, desistir de seu ofício profético por causa da dureza de sua mensagem e da recepção que ela obtém de Judá. Ele é chamado de profeta chorão, solitário, rejeitado e perseguido. No capitulo 11.1-17 Jeremias lembra ao povo de Judá a aliança que Deus havia feito com eles. Se eles cumprissem as palavras dessa aliança, Deus os abençoaria. O senhor Deus me disse: Preste atenção nas palavras desta aliança. Diga ao povo de Judá e aos moradores de Jerusalém que eu, o Senhor, o Deus de Israel, amaldiçoarei toda pessoa que não obedecer as palavras desta aliança. Esta é a minha aliança que fiz com os antepassados deles, quando os tirei do Egito, a terra que era para eles como uma fornalha acesa. Eu disse a eles o seguinte: "se me obedecerem e fizerem tudo o que eu mandar, vocês serão o meu povo, e eu serei o  Deus de vocês. Assim cumprirei a promessa que fiz aos seus antepassados, a promessa de lhes dar a terra boa e rica que agora é de vocês." Eu disse: É verdade, ó Senhor. Então Deus continuou: Vá até as cidades de Judá e pelas ruas de Jerusalém e anuncie ali esta minha mensagem. Diga apos Israelitas que escutem as palavras da aliança e que as cumpram. Quando tirei os antepassados deles do Egito, eu os avisei solenemente que obedecessem as minhas palavras e tenho continuado a avisar o povo até hoje. Mas eles não ouviram, nem obedeceram. pelo contrário, cada um continuou a ser teimoso e mau como sempre. Eu havia mandado que fossem fiéis a aliança, mas eles não quiseram obedecer. Por isso, eu os castigarei com todos os castigos que estão escritos na aliança. O Senhor Deus ainda me disse o seguinte: O povo de Judá e os moradores de Jerusalém estão se revoltando contra mim. Voltaram a cometer os mesmo pecados dos seus antepassados, que não quiseram fazer o que eu havia mandado, e andaram adorando outros deuses. O povo de Israel e o povo de Judá quebraram a aliança que eu fiz com os seus antepassados. Por isso, eu, o senhor, aviso que vou fazer cair uma desgraça sobre eles, e eles não escaparão. E, quando gritarem pedindo socorro, eu não escutarei. Ai o povo de Judá e os moradores de Jerusalém vão pedir socorro aos deuses a quem vivem oferecendo sacrifícios. mas, quando a desgraça chegar, esses deuses não poderão salvá-los. O povo de Judá tem tantos deuses quantas são as suas cidades; e, para oferecerem os vergonhosos sacrifícios ao deus Baal, os moradores de Jerusalém levantaram tantos altares quantas são as suas cidades. Jeremias, não ore a mim por este povo, nem me peça nada em favor dele. Quando eles estiverem em dificuldades e me pedirem socorro, eu não ouvirei. O Senhor disse também: O povo que eu amo está praticando o mal. Que direito eles têm de vir ao meu Templo? Será que estão pensando que podem afastar a desgraça, fazendo promessas e oferecendo sacrifícios de animais? E será que então vão ficar contentes? Uma vez, eu os chamei de oliveira verde, carregada de belas azeitonas. Mas, agora, com um estrondo de trovão, vou pôr fogo nas suas folhas e quebrar os seus ramos. Eu, o senhor Todo-Poderoso, plantei Israel e Judá; mas, agora, eu os estou ameaçando com um desastre. Eles mesmo fizeram cair sobre si esse desastre porque fizeram o mal e me provocaram oferecendo sacrifícios a Baal. Em sonhos Deus manda que eu leia este capitulo. O povo tem buscado somente os seus interesses, bens maratiais, não se pode mais pregar a verdade, se alguém se sentir-se prejudicado em vez de buscar a justiça de Deus, buscam a justiça do homem, Jesus disse buscai primeiro o reino do céu e a sua justiça e as demais coisas sará acrescentada. A casa de Deus é lugar de a gradecer e adorar.     
Print Friendly and PDF