22 de agosto de 2014

BEBENDO DA ROCHA

DEUS É FIEL, APESAR DA NOSSA INCONSTÂNCIA.

A pessoa inconstante é aquela que tem falta de constância, firmeza ou estabilidade. Ser inconstante é ser volúvel e infiel. O comportamento do povo de Israel no deserto é um exemplo de extrema inconstância. Ausência de firmeza, que tende a mudar de ideia com facilidade; cujas atitudes, opiniões ou se altera facilmente; que não possui nem demonstra lealdade. Imediatamente após o evento profundamente significativo da páscoa (Êx 12), tendo acabado de deixar o mar vermelho aberto por Deus (Êx 14) e depois de um culto de louvor em reconhecimento á grandeza e á bondade de Deus (Êx 15), os hebreus sofreram um ataque de inconstância. NÃO HÁ NADA PARA BEBER! Bastaram três dias no deserto para que os israelitas começassem a reclamar. Primeiro "não há nada para beber!" Depois, "esta água não é boa!",e, então, "não há nada para comer!" então, começaram a ter uma ideia do que estava acontecendo. O cântico de Miriã sobre o grande Deus que opera maravilhas já havia sido esquecido (Êx 15.21). O que o povo estava cantando durante a sua longa marcha pelo deserto era uma música bastante diferente, irritante. apesar da fiel e miraculosa provisão divina de água e maná, a reclamação continuou até a chegada ao acampamento de Refidim. Foi lá que Deus ordenou a Moisés que ferisse a rocha em Horebe (Êx 17). Ao fazer isso, uma torrente de água miraculosamente jorrou da pedra. BEBENDO DA ROCHA. Em sua primeira carta aos coríntios Paulo refere-se a este incidente, dizendo que "a pedra era Cristo". Ora, irmãos, não quero que ignoreis que nossos pais estiveram todos sobre a nuvem, e todos passaram pelo mar, tendo sido todos batizados, assim na nuvem como no mar, com respeito a Moisés. Todos eles comeram de um só manjar espiritual e beberam da mesma fonte espiritual; porque bebiam de uma pedra espiritual que os seguia. E a pedra era Cristo (1 Co 10.1-4). Em outras palavras, num sentido espiritual e sobrenatural , Jesus estava com o povo de Israel durante sua longa jornada pelo deserto. Que testemunho da fidelidade de Deus! O Senhor continuou a proteger o seu povo e a cuidar deles mesmo quando estes fazia as piores reclamações. Que  visão maravilhosa da graça! Não é exatamente assim que Deus cuida de nós? Não o adoramos de um jeito inconstante. Em dado momento, louvamos a Deus por uma bênção em nossa vida, então, depois, fazemos uma curva e o repreendemos por sua "falha" em não nos dar o que queríamos. Resumindo, somos inconstante. Apesar disso, ele continua fiel. Deus nunca deixa de nos amar. Seus dons-incluindo o maior deles, o perdão dos pecados e a promessa de vida eterna- nunca são ofertados com base nos méritos. Somos excêntricos demais para merecer qualquer coisa de um Santo Deus. Não obstante, as bênção de Deus são derramadas graciosa e gratuitamente.Quando mais nos concentramos nesta verdade e honramos o nosso fiel Deus, mas resolutos nos tornaremos em nossa devoção a ele.